Páginas

sexta-feira

34 é uma boa idade

quando era uma gaiata, imaginava que aos 34 anos seria uma executiva de sucesso. -Não comecem já a rir, por favor-. Na verdade não estou longe daquela coisa que imaginei... sempre girissíma, sempre a correr, sempre ao telefone, sempre um pouco insuportável. Consegui os empregos que queria, a casa que queria, o closet, as viagens e os livros.  

Na 4ª feira, no cagagésimo de segundo que precedeu o embate no carro da frente e eu pensei mesmo que ia morrer, imaginei a minha filha orfã, o meu marido desamparado e um bando de amigos desnorteados. E aquela imagem que eu tinha criado quando era uma imberbe, deixou de fazer sentido.

Qual é a pressa? As apresentações, os mails, os telefonemas, os contratos...?
E percebi que não é pressa, é a estupidez típica dos 33, que hoje passa finalmente, porque faço 34.

ps - sou só eu ou, a nossa educação judaico-cristã faz-nos sempre pensar que os 33 são uma data simbolica para morrer? Bom, eu pelo menos, desta (data) já me safei.

5 comentários:

Tere disse...

OI AMIGA ,AMEI SEU ARTIGO BEM ORIGINAL, NÉ,BEIJOS TERE.

MARTA disse...

Parabéns Vanessa! Bj

Vanessa da Trindade disse...

obrigado às duas. Bj grande.

Lucie disse...

Acredita, vais chegar aos 50 igualmente fantástica, portanto!!!! :)

Esses "momentos cliché" acontecem a todos, creio...os meus acontecem ao acordar (e sem despertador, crap!) !!

De qualquer forma, espero que não tenha sido nada de grave e que o susto tenha tido como consequência, apenas, este teu momento de reflexão!!

Beijito

Vanessa da Trindade disse...

Obrigado querida Lucie.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails